No mundo dos negócios, lucros ou prejuízos são sempre precedidos de decisões. O fator sorte existe, mas nem vale à pena levá-lo em consideração em um cenário altamente competitivo e virtualizado, onde as informações e o dinheiro trafegam em velocidades surpreendentes. Boas informações, aliás, são o que fundamentam as escolhas acertadas e elas vêm de todo lugar. Sites, redes sociais, smartphones, relógios, eletrodomésticos, carros, equipamentos industriais. Tudo gera informações e tudo tem se conectado, favorecendo o intercâmbio de dados. Por que, então, não aproveitar essas informações para gerar mais dinheiro e oportunidades de negócios? Se você enxerga um pote de ouro por trás dessa pergunta, saiba que há uma estrada para chegar até ele e ela se chama Business Intelligence ou, simplesmente, BI.

O que é Business Intelligence

Business Intelligence (BI), que traduzido para o português significa “inteligência de negócios” é um termo que define o processo em que utilizamos tecnologias e metodologias para coletar, analisar e organizar dados ou informações de forma que possam auxiliar na tomada de decisões estratégicas em uma empresa ou empreendimento.

As informações podem ser geradas dentro ou fora da organização e servirão para alimentar as ferramentas de BI que, no fim das contas, disponibilizarão, em relatórios e dashboards personalizáveis e de fácil compreensão, indicadores de desempenho ou resultado pré-determinados de acordo com a necessidade de gestores, analistas ou outros usuários que precisam ter uma visão clara dos negócios.

Empresas de qualquer porte e segmento que implantam e se adaptam bem a soluções de BI possuem clara vantagem competitiva em seus mercados de atuação, conseguindo aumentar seus lucros, reduzir seus custos e descobrir novas oportunidades de negócios.

Como funciona um processo de Business Intelligence?

Praticamente todo o trabalho de Business Intelligence é feito por softwares instalados localmente ou baseados na nuvem. Estes softwares ou ferramentas são alimentados por bancos de dados (data warehouse) ou outras fontes como Excel, ferramentas de gestão, Google Analytics e outros.

Independentemente de qual seja o tipo de organização (educacional ou comercial, por exemplo), o trabalho vai, basicamente, seguir os mesmos passos, que são:

1 – Coleta de dados

O software deve ser alimentado com informações de um ou vários bancos de dados ou um data warehouse. Dados sobre transações efetuadas, público, concorrentes, custos, redes sociais, indicadores econômicos e projeções de metas a serem alcançadas servirão para construir relatórios consistentes.

2 – Organização e análise de informações

Os dados coletados são organizados e apresentados de acordo com os indicadores pré-determinados pelos gestores. É preciso pensar bastante em quais são os KPIs do negócio para não perder tempo avaliando indicadores irrelevantes. Uma rede de hotéis poderia, por exemplo, pedir um ranking com as cinco unidades mais lucrativas e as suítes mais reservadas. Isso seria relevante para tentar entender o que acontece nesses locais e tomar decisões em relações às outras unidades.

Os indicadores são apresentados em painéis, relatórios e até em forma de storytelling para análise dos envolvidos nas tomadas de decisão da organização.

3- Diagnósticos e soluções

Depois da análise dos indicadores apresentados nos dashboards, os gestores identificarão pontos críticos, oportunidades e decidirão quais decisões precisam ser tomadas para melhorar, manter ou retomar os resultados do negócio.

4 – Monitoramento e aprimoramento

Depois que as decisões forem colocadas em prática, os resultados devem ser monitorados e servir como base para os próximos passos. Dessa forma, é possível ficar atento a resultados não esperados, fazer aprimoramentos e retomar o ciclo com mais segurança.

Business Intelligence: tudo o que sua organização precisa saber para transformar dados em lucros blog efficiency business analytics 1024x576 1024x576

Vantagens da implantação de Business Intelligence nas empresas

Há alguns benefícios bem abrangentes resultantes da implantação de processos de Business Intelligence, como descoberta de tendências de mercado, identificação de novas oportunidades, antecipação de crises e, logicamente, tomadas de decisão mais seguras. Listamos algumas vantagens que podem ser observadas nos mais diferentes negócios.

Identificação de oportunidades

A inteligência de negócios permite que gestores identifiquem oportunidades à medida em que descobrem pontos fortes e fracos da empresa, avaliam cenários, fazem comparações com a concorrência e encontram novos caminhos para investir. Isso fica claro nas corporações que analisam o comportamento de clientes para saber onde estão os mais lucrativos e quais produtos têm tido mais sucesso no mercado.

Como a plataforma de BI é capaz de gerar gráficos sobre concorrentes e mercado de atuação, os relatórios também podem revelar vantagens competitivas, ajudando na elaboração de estratégias para conquista de espaço no mercado.

Otimização de fluxos de trabalho

Ficou fácil perceber que, dependendo do porte da empresa, uma ferramenta de BI é capaz de fazer, em poucos minutos, o trabalho que centenas de pessoas não conseguiriam fazer em meses, como organização de alto volume de dados, checagem de duplicação de informações, criação de relatórios e apresentações, entre outras. Dessa forma, vários funcionários poderiam se dedicar a funções mais produtivas.

Além disso, os softwares também podem indicar o desempenho das equipes de trabalho e revelar se os fluxos de trabalho e profissionais envolvidos estão ou não sendo eficientes.

Redução de custos e corte de desperdícios

Um sistema de BI pode indicar perdas consideráveis em grandes empresas. Isso é comum na indústria, por exemplo, onde os custos operacionais são altos e há vários setores e parceiros comerciais interagindo entre si. Os relatórios podem revelar gastos anormais com manutenções, atividades ineficientes, paradas excessivas na produção, pagamentos acima da média a fornecedores e transportadores, entre outros fatores que podem fazer o custo do negócio subir consideravelmente.

Identificação de tendências de vendas

Ao indicar que determinados produtos ou serviços têm sido mais ou menos comercializados, as ferramentas de Business Intelligence acabam revelando tendências de vendas e preferências dos clientes. Isso evita prejuízos na manutenção de produtos pouco lucrativos e permite que gestores antecipem estratégias para explorar oportunidades como expansões e promoções.

Previsão mais acertada do futuro dos negócios

Não estamos exagerando quando falamos em previsão do futuro. O mercado segue padrões e quem consegue ler esses padrões primeiro tem a chance de ganhar mais. Como diz aquele velho ditado, “quem vai na frente bebe água limpa”. Uma das coisas que um sistema de BI proporciona é uma análise preditiva, baseada em dados históricos, que indica quais as possibilidades de determinadas tendências ou situações se desenharem futuramente.

Apesar de não ser simples como parece, pois depende de conhecimento aprofundado do mercado de atuação, essa é uma das vantagens mais desejadas pelos gestores que contratam as ferramentas.  

Obtenção de insights poderosos em tempo real

Os intuitivos e atrativos relatórios (com KPIs diversos) gerados pelos softwares de BI podem fornecer, em tempo real, alguns insights valiosos sobre operações, setores, parceiros ou fornecedores. As conclusões que podem levar horas, dias ou meses para serem reveladas após a análise de planilhas ou a combinação de pilhas de gráficos, surgem instantaneamente quando apresentadas em dashboards personalizáveis, design amigável e de fácil entendimento.

Suporte e rapidez na tomada de decisões

Essa vantagem é a mais óbvia, mas não poderia ficar fora deste tópico. Quando se age amparado por um sistema de Business Intelligence, não há espaço para “achismos” ou adivinhações. As decisões são tomadas com base no resultado da análise de dados concretos, o que facilita a identificação de oportunidades e riscos de acordo com a realidade interna e do mercado. Como as ferramentas são capazes de processar altos volumes de dados rapidamente, as consultas aos indicadores capazes de processar as informações podem ser feitas a qualquer momento e atualizadas com a frequência desejada pelos gestores.

Essa vantagem simboliza a essência do processo, mas, por incrível que pareça, como veremos à frente, algumas empresas ainda conseguem falhar depois de implantá-lo.

Business Intelligence: tudo o que sua organização precisa saber para transformar dados em lucros 451642 PEZYQN 621 1024x683

3 fatores preocupantes em processos de Business Intelligence

Logicamente, nem tudo são flores quando tratamos de processos de Business Intelligence. Por isso, elencamos três problemas comuns relatados por usuários de ferramentas comuns no mercado.

Diferentes interpretações

Os tomadores de decisões envolvidos no negócio podem chegar a resultados diferentes diante dos mesmos indicadores, construídos de forma sólida e coerente. Uma das saídas para evitar que isso aconteça é simular cenários e possíveis resultados diante das interpretações divergentes.

Custo das ferramentas de Business Intelligence

As soluções de BI disponíveis no mercado são muitas e outras têm surgido devido à importância do Business Intelligence para o sucesso dos negócios. Da mesma forma, há muitas opções de preços e não significa que as ferramentas mais baratas sejam de baixa qualidade. A Microsoft deixou isso bem claro quando decidiu oferecer a licença do Power BI por R$ 45, cerca de 11% dos R$ 400 cobrados pelo Qlik Sense, como veremos adiante.

O custo também está atrelado a outros esforços como infraestrutura, banco de dados, profissionais especializados e curva de aprendizado. No caso da solução da Microsoft, não há necessidade de alocação de infraestrutura, pois a ferramenta funciona 100% na nuvem.

Caso a empresa opte por terceirizar o desenvolvimento dos dashboards, terá que arcar o custo com essa terceirização, o que pode ser economizado caso haja alguém da equipe de TI que possa ser direcionado para este trabalho. A maioria das soluções, como o Power BI, são intuitivas e possuem diversos modelos de dashboards prontos.

Grandes organizações que operem com inúmeras aplicações, dados integrados por um ERP ou um sistema de CRM que exijam um data warehouse precisarão de um servidor. Nesse caso, a ferramenta de BI escolhida pode utilizar um espaço alocado nesse mesmo servidor.

E não é só isso. Também temos que considerar a capacidade financeira de transformar as respostas dadas em novos negócios assim que elas surgem. Afinal, de que adianta ter insights e orientações sem poder materializá-los?

Risco de invasões

Este problema está longe de ser específico para as ferramentas de Business Intelligence, mas deve ser levado em conta. Se você tem um empreendimento e não investe em segurança da informação, a questão não é se você terá alguma dor de cabeça com invasões e malwares, mas quando isso vai acontecer. Como algumas ferramentas de BI estão conectadas à nuvem, o risco de dados confidenciais serem acessados por hackers é bem grande.

Business Intelligence: tudo o que sua organização precisa saber para transformar dados em lucros seguranca de ti 1024x506

Qualquer empreendimento pode implantar um sistema de BI?

As soluções de BI podem ser implantadas em negócios de qualquer segmento e porte. No entanto, se a empresa não tiver uma cultura organizacional compatível, com uma linha de gestão clara e se não tiver experiências bem-sucedidas em planejamentos estratégicos, é melhor esperar um pouco antes de investir.

Um processo de BI consiste, basicamente, na coleta de dados existentes em algum sistema (interno ou externo), na organização e na transformação em dashboards ou relatórios, de forma que profissionais das áreas gerenciais, táticas e estratégicas tenham informações mais consistentes, que possam ser visualizadas de diversas formas, com diversos filtros, para auxiliar na tomada de decisão. Acontece que, nem sempre, as empresas possuem dados consistentes em um data warehouse ou até mesmo em planilhas de Excel.

É preciso analisar se a organização possui a maturidade necessária para dar esse passo. Durante o diagnóstico pré-implantação, a consultoria responsável deve tentar descobrir se há alinhamento entre as pessoas, os processos e as tecnologias. É um tripé clássico que deve estar bem firme e nivelado. Caso haja algum desnível, o recomendado é resolver o problema para evitar que ele se agrave ou que outro pior seja criado depois da aquisição de ferramentas de Business Intelligence.

Exemplos de aplicação de Business Intelligence

Netflix

Depois que você assiste um filme ou série na Netflix, a plataforma passa a sugerir outras produções que possam te interessar e vai refinando essas sugestões à medida que você faz novas escolhas. Além disso, essa é uma forma de fazer uma análise macro e decidir quais produtos continuarão ou serão removidos do catálogo.

Business Intelligence: tudo o que sua organização precisa saber para transformar dados em lucros netflix chamada 1024x466

Tesco

A Tesco, multinacional varejista britânica, dona de lojas e hipermercados, utilizou seu cartão fidelidade de uma forma bem diferente da concorrência. Ela analisou o comportamento de compra dos clientes para melhorar seu controle de estoque, aumentar as vendas e otimizar os investimentos em marketing. Como resultado, a empresa economizou milhões em libras ao adequar suas ações com a ajuda de insights de BI.

American Express

Os investimentos da American Express em Business Intelligence fizeram com que ela conseguisse um feito incrível no mercado financeiro australiano: a empresa conseguiu prever quase 25% dos clientes com tendência a fechar as contas nos próximos quatro meses. Essa informação permitiu que a financeira desenvolvesse ações para reter os clientes antes mesmo que eles se manifestassem para encerrar suas transações.

General Electric

Aqui, temos um exemplo bem diferente dos demais. A General Eletric utiliza a análise de dados fornecidos pelos dispositivos que desenvolve para torná-los mais confiáveis e funcionais. As informações são fornecidas por sensores instalados em motores a jato, turbinas e produtos hospitalares, por exemplo e, depois de analisadas, fornecem insights que podem torná-los mais econômicos e seguros, prevendo falhas e acidentes.

Principais ferramentas de Business Intelligence do mercado

Selecionamos quatro soluções de Business Intelligence confiáveis e bem populares para que você consiga extrair insights rápidos, poderosos e lucrativos para tomar decisões assertivas em sua empresa.

Há diversas ferramentas no mercado, mas escolhemos algumas que possuem boa curva de aprendizado, bom custo-benefício, escalabilidade e credibilidade. Elas podem atender negócios de variados segmentos e portes, o que não dispensa um diagnóstico detalhado antes da escolha, feito por uma consultoria de confiança e experiência na área de BI.

Power BI

O Power BI é um conjunto de ferramentas de análise de dados e compartilhamento de insights desenvolvido pela Microsoft e funciona 100% na nuvem. Atualmente, é uma das soluções mais procuradas no mercado brasileiro pela sua facilidade de uso e a possibilidade de integração com uma grande variedade de softwares e fontes de dados. Entre as principais integrações do Power BI, destacam-se:

  • Excel
  • Oracle
  • SQL Server
  • Google Analytics
  • Microsoft Azure
  • Office 365
  • MailChimp
  • Office 365

Com o Power BI, é possível criar relatórios ou dashboards de dispositivos como smartphones, desktops e tablets, acessando as informações armazenadas em servidores locais ou na nuvem. Quando uma atualização é feita, ela é sincronizada em todos os dispositivos conectados, móveis ou não.

Quanto custa o Power BI?

Plano de entrada: US $ 9,99 – Licença Pro (usuário/mês).

Plano avançado: US $ 4.995 – Licença Premium (preço mensal por computação em nuvem dedicada e recurso de armazenamento).

Os detalhes dos planos podem ser consultados AQUI.

Yellowfin

A plataforma líder de mercado em BI móvel e colaborativa é uma opção sólida, fácil e inovadora, que pode se conectar a diversas fontes de dados em tempo real. Ela possui um recurso, chamado de Yellowfin Stories, que possibilita aos usuários incorporar relatórios de fontes diversas no mesmo painel, construindo uma história contextualizada e compartilhada. Em outras palavras, esta opção permite que a construção de uma narrativa baseada em dados. Isso reduz as chances de surgirem interpretações diferentes dos indicadores fornecidos, além de potencializar a comunicação dentro das organizações.

Outra funcionalidade poderosa da plataforma é o Yellowfin Signals, uma ferramenta capaz de descobrir e exibir alterações críticas nos dados da empresa, sem que seja necessário acessar os painéis ou consultar atualizações em relatórios.

Os empreendedores têm a opção de adquirir a solução de forma integrada ou escolher componentes individuais que querem implantar em suas empresas.

Quanto custa o Yellowfin?

Plano de entrada: US $ 50 – Yellowfin Analytics (usuário/mês)

Plano avançado: sob consulta

Informações e comparativos dos planos podem ser consultados AQUI.

Tableau

Não são raras as fontes que indicam que essa é a solução de BI mais utilizada no mundo. Além da usabilidade e flexibilidade na preparação de dashboards, sua alta gama de visualizações, layout da interface e compartilhamento de informações são algumas vantagens consideráveis. Outro benefício é que o Tableau pode ser adquirido com uma licença perpétua na nuvem ou em servidor local.

Quanto custa o Tableau?

US $ 35 a US $ 70 por usuário por mês.

Preços avançados para organizações são divulgados sob consulta.

Qlik Sense

Dentre as opções de soluções aqui listadas, o Qlik Sense destaca-se por ter APIs que permitem que desenvolvedores o incorporem a outros softwares, criando personalizações de acordo com as demandas específicas dos negócios ou empresas onde tiver sido implantado. Seus recursos atendem a diferentes níveis de usuários, dos básicos aos especialistas.

Outro ponto interessante é o fato de a ferramenta não ocultar nenhum dado em seus resultados, deixando os menos relevantes esmaecidos ao invés de descartá-los. Isso permite que gestores mais detalhistas descubram tendências ocultas ou tenham insights para definir novos indicadores.

Assim como o Yellowfin (mas não tão avançado), o Qlik Sense também oferece a construção de narrativas para que os usuários possam compartilhar seus pontos de vista de forma mais fluída e rápida.

Quanto custa o Qlik Sense?

Plano de entrada: Grátis – Plano Cloud Basic (poder ser compartilhado por até cinco usuários na nuvem)

Planos empresariais: sob consulta

Conclusão

Atrás de maiores lucros, vantagens competitivas ou melhorias nos resultados, um número cada vez maior de pequenas, médias e grandes empresas, além de organizações educacionais e governamentais, têm implementado soluções de Business Intelligence. Tomar decisões a partir da análise de informações é o caminho mais seguro sem, necessariamente, ser conservador. A partir do momento em que as ferramentas entregam os relatórios e dashboards, cabe aos gestores decidirem o que fazer e é aí, na verdade, que pode-se descobrir quem está preparado ou não para cortar quando se tem a faca e o queijo na mão.

Você tem alguma experiência com ferramentas ou processos de BI que queria compartilhar? Tem algum comentário ou dúvida? Deixe seu comentário.

Tem interesse em implantar a solução em sua empresa e precisa de ajuda? Clique aqui e entre em contato com um de nossos consultores.

Solicite o atendimento de um especialista

Orçamento? Demonstração? Contato? Ou apenas dúvidas? Não se preocupe.
Nós ouvimos você! Preencha o formulário abaixo e solicite o atendimento 
de um Especialista da LTS. Listen to Solve - ouvimos para solucionar!